Caminhada

olhos (2)

Caminhada

Thiago Camargo Conceição

Uma casa, uma bola, um sonho. Lembranças que vêm, lembranças que vão.

Meus pais, eu e meus irmãos. Se voltar lá não posso é porque eu mesmo quis crescer.

E o tempo passa. Os anos vêm. As responsabilidades crescem – assim como o corpo (ao contrário do cérebro). As preocupações chegam, algumas paixões se vão.

E as saudades da infância crescem. Todas as lembranças da vida passada parecem mais doces. Os desejos mais puros. A simplicidade nunca pareceu tão bela.

Sono, stress, confusão. Vivências que estão ou virão. Minha cabeça dói, mas o tempo ainda passa. Meu corpo se move e, contanto que minha “casca” funcione, a sociedade estará bem.

Sonhos se vão. Esperança se recusa a ir, portanto fica nesse coração tão Brasil. E a espera por alguma mudança gasta tempo que não tenho.

O mundo não para de crescer. O futuro vem para todos e a vida passa entre os dedos, como grãos de areia.

A nostalgia me abraça e os dias passados parecem, a cada instante, mais tentadores.

O calor das lembranças é simplesmente bom demais para que eu o deixe ir.

A tarde continua. E lá vou eu, com a minha casa, uma bola e um sonho.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.